O “DistritalBeja” continua a sua ronda de entrevista e desta feita esteve à conversa com Ana Rita Batista, jogadora que na presente temporada regressou ao distrito para representar a equipa de futsal do SC Ferreirense, depois de 4 temporadas no GD A-dos-Francos na elite do futebol feminino nacional.

Na presente temporada era um dos esteios da equipa de Ferreira do Alentejo, sendo a melhor marcadora da equipa e umas das melhores marcadoras da competição contribuindo para o 3º lugar na competição, a melhor colocada entre as equipas do distrito.

DISTRITALBEJA (DB) – Antes de mais agradecer por ter aceitado o convite. Fale-nos um pouco sobre o seu percurso no futebol/futsal.

ANA RITA BATISTA (ARB) – Queria agradecer ao Distrital Beja Desporto por esta oportunidade. O meu percurso no futebol/futsal começou no Negrilhos Futebol Clube (Futebol 7 – Infantil Misto 2002-2004), uns anos mais tarde como já não podia jogar com os rapazes fui jogar futsal no Futebol Clube Alvaladense (Júnior e Seniores 2006-2010). Logo a seguir surgiu a oportunidade de voltar ao futebol no Sport Clube Mineiro Aljustrelense (Futebol 7 – Seniores 2010-2012), duas épocas depois fui para a Casa Do Benfica De Castro Verde ( Futebol 7 – Séniores 2012-2013).

Nas épocas a seguir joguei no Futebol Clube Castrense (2013-2015). Depois de ter a oportunidade de jogar no campeonato de promoção, surgiu a oportunidade de jogar na primeira liga no GDC A-dos-Francos (2015-2019). Depois dessa experiência de 4 épocas voltei para a terra, e surgiu voltar para o futsal, no clube que represento atualmente, Sporting Clube Ferreirense.

(DB) – Que balanço faz da temporada 2019/20 até ao momento da sua interrupção devido ao COVID-19? Os objetivos da temporada estavam a ser atingidos, quer a nível de clube quer a nível pessoal?

(ARB) – O balanço que faço até ao momento é positivo, sendo que conseguimos ir longe na taça de Portugal e conseguimos o principal objetivo que era ir à taça nacional (não sabemos como será mas fica na história que conseguimos esse feito), ficamos em 3 lugar, sendo que fomos a melhor equipa do distrito de Beja no interdistrital (Beja, Évora, Setúbal).

Ao nível pessoal adorei voltar a jogar futsal, aprendi muito, a evolução é enorme desde os primeiros treinos para agora, e é claro a sede de golo está sempre presente.

(DB) – Como está a viver este momento de dificuldade?

(ARB) – Estou a tentar manter as rotinas que tinha apesar de ser difícil sempre em casa, manter a calma, não ver muitas notícias porque acho que isso ainda nos deixa mais ansiosos e preocupados.

(DB) – Na sua opinião qual a solução a aplicar neste momento a nível distrital para a ultrapassagem do momento a nível desportivo.

(ARB) – Sinceramente não sei, mas acho que a taça nacional não devia ser cancelada, por todo o esforço e toda a conquista que fizemos até agora.

(DB) – Como vês o momento atual do futebol/futsal feminino no distrito?

(ARB) – O futebol/futsal no distrito está pobre, é triste dizer isto, mas é a verdade. Os clubes não investem em equipas femininas, nunca há verbas para tal, as formações ainda vão tendo algumas raparigas mas gostava de ver muito mais, a aposta no futebol/futsal feminino deveria ser como no masculino, mas infelizmente nunca será igual.

(DB) – Deixe uma mensagem a todos os seguidores do “DistritalBeja”.

(ARB) – Gostaria de agradecer a todos e dizer para se protegerem a vocês e aos vossos, vamos ultrapassar estes tempos difíceis, e certamente que voltaremos mais fortes.

RESPOSTAS RÁPIDA
Clube favorito: Sport Lisboa e Benfica
Jogador favorito: Cristiano Ronaldo
Qual o momento mais feliz vivido no desporto: Quando fui jogar para a primeira liga, nesse ano ficamos em 4 lugar.